Publicidade

Como ocorre a Extinção das Espécies?

Como ocorre a Extinção das Espécies?

Como os biólogos estimam as taxas de extinção e como as atividades humanas afetam essas taxas?
Por que devemos nos preocupar em proteger as espécies selvagens?
Quais atividades humanas colocam em risco a vida selvagem?
Como podemos ajudar a prevenir a extinção prematura de espécies?
O que é ecologia de reconciliação e como ela pode ajudar a prevenir a extinção prematura de espécies?

Em 1858, a caça ao pombo-correio tornou-se um grande negócio.
Em 1900, eles foram extintos por excesso de colheita e perda de habitat.

EXTINÇÃO DE ESPECIES 


Espécies podem se extinguir:
  1. Localmente : uma espécie não é mais encontrada em uma área que antes habitava, mas ainda é encontrada em outras partes do mundo.
  2. Ecologicamente : ocorre quando restam tão poucos membros de uma espécie que eles não desempenham mais seu papel ecológico.
  3. Globalmente (biologicamente) : as espécies não são mais encontradas na Terra.
Extinção Global 

Alguns animais foram extintos prematuramente por causa das atividades humanas.
 
Capital natural perdido: algumas espécies animais que se extinguiram prematuramente em grande parte devido às atividades humanas, principalmente a destruição do habitat e a caça excessiva. O Great Auk foi extinto em 1844 devido à caça excessiva por causa de sua disposição de marchar até os navios.

 PERGUNTA: Por que você acha que os pássaros estão no topo desta lista?

Espécies em perigo e ameaçadas: alarmes ecológicos de fumaça 

Espécies ameaçadas de extinção : tão poucos sobreviventes individuais que logo poderá se extinguir.
Espécie ameaçada : ainda abundante em sua área de distribuição natural, mas provavelmente estará em perigo em um futuro próximo.
 
Capital natural em perigo: espécies que estão em perigo ou ameaçadas de extinção prematura em grande parte por causa das atividades humanas. Quase 30.000 das espécies do mundo e 1.260 daqueles nos Estados Unidos estão oficialmente listadas como em perigo de extinção. A maioria dos biólogos acredita que o número real de espécies em risco é muito maior.
 
Tartaruga-de-pente 
Panda gigante 
Furão de pés pretos 
Guindaste gigante 
Coruja pintada do norte 
Baleia Azul 

Algumas espécies apresentam características que as tornam vulneráveis ​​à extinção ecológica e biológica.
 
Os cientistas usam medidas e modelos para estimar as taxas de extinção.
Os cientistas usam modelos para estimar o risco de extinção ou ameaça de extinção de determinadas espécies.

IMPORTÂNCIA DAS ESPÉCIES SELVAGENS  


Não devemos causar a extinção prematura de espécies por causa dos serviços econômicos e ecológicos que fornecem. Alguns acreditam que cada espécie selvagem tem o direito inerente de existir.
Algumas pessoas distinguem os direitos de sobrevivência entre vários tipos de espécies (plantas x animais).

PERDA DE HABITAT, DEGRADAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO 

Os biólogos conservacionistas resumem as causas mais importantes de extinção prematura: Destruição, degradação e fragmentação de habitatnEspécies invasivas, Crescimento populacional, Poluição

A maior ameaça para uma espécie é a perda, degradação e fragmentação de onde ela vive.

Degradação do capital natural: causas básicas e diretas de esgotamento e extinção prematura de espécies selvagens. A principal causa direta do esgotamento da vida selvagem e extinção prematura é a perda, degradação e fragmentação do habitat. Isso é seguido pela introdução deliberada ou acidental de espécies invasoras (não nativas) prejudiciais aos ecossistemas.

Redução em intervalos de quatro espécies de vida selvagem, principalmente devido à perda de habitat e colheita excessiva.
 
As atividades humanas estão causando sérios declínios nas populações de muitas espécies de pássaros.
As 10 espécies mais ameaçadas de pássaros canoros dos Estados Unidos, de acordo com um estudo de 2002 da National Audubon Society. Muitas dessas espécies são vulneráveis ​​devido à perda de habitat e fragmentação das atividades humanas. Estima-se que 12% das espécies de aves conhecidas no mundo podem enfrentar a extinção prematura das atividades humanas durante este século. (Dados da National Audubon Society)

A maioria das espécies de pássaros do mundo é encontrada na América do Sul. Ameaçado com perda de habitat e espécies invasoras.

Muitas espécies não nativas nos fornecem alimentos, remédios e outros benefícios, mas algumas podem exterminar as espécies nativas, perturbar os ecossistemas e causar grandes perdas econômicas.
 
Muitas espécies invasoras foram introduzidas intencionalmente.
A prevenção é a melhor forma de reduzir as ameaças de espécies invasoras, porque, uma vez que chegam, é quase impossível retardar sua disseminação.
 
• Clima semelhante ao habitat do invasor 
• Ausência de predadores nas espécies invasoras 
• Sucessão inicial sistemas 
• Baixa diversidade de espécies nativas 
• Ausência de fogo 
• Perturbado por atividades humanas 

Espécies Invasoras 
• Alta taxa reprodutiva,   curto tempo de geração   (espécies selecionadas por r) 
• espécies pioneiras 
• Vida longa 
• Alta taxa de dispersão 
• Liberar inibidor de crescimento produtos químicos no solo 
• Generalistas 
• Alta variabilidade genética 

O crescimento populacional, a afluência e a poluição promoveram a extinção prematura de algumas espécies. A mudança climática projetada ameaça várias espécies de extinção prematura.
Poluição 


SUPER EXPLORAÇÃO 
Algumas espécies protegidas são mortas por suas peças valiosas ou vendidas vivas a colecionadores.
Matar predadores e pragas que nos incomodam ou causam perdas econômicas ameaça algumas espécies de extinção prematura.
O comércio legal e ilegal de espécies selvagens usadas como animais de estimação ou para fins decorativos ameaça algumas espécies de extinção.

Como ocorre a Extinção das Espécies?
Imagem Ilustrativa Pixabay


Os rinocerontes são freqüentemente mortos por seus chifres e vendidos ilegalmente no mercado negro para fins decorativos e medicinais.
 

PROTEGENDO ESPÉCIES SELVAGENS: ABORDAGENS LEGAIS E ECONÔMICAS 

Tratados internacionais ajudaram a reduzir o comércio internacional de espécies ameaçadas de extinção, mas a fiscalização é difícil.
Uma das mais poderosas é a Convenção de 1975 sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Extinção (CITES).
Assinado por 169 países, lista 900 espécies que não podem ser comercializadas comercialmente.
Estudo de caso:  
The US Endangered Species Act 

Uma das leis ambientais mais abrangentes e controversas do mundo é a Lei de Espécies Ameaçadas dos Estados Unidos (ESA) de 1973.


PROTEGENDO ESPÉCIES SELVAGENS: A ABORDAGEM SANTUÁRIA 

Bancos de genes, jardins botânicos e uso de fazendas para criar espécies ameaçadas podem ajudar a prevenir a extinção, mas essas opções carecem de financiamento e espaço de armazenamento.
Os zoológicos e aquários podem ajudar a proteger as espécies animais ameaçadas preservando alguns indivíduos com o objetivo de reintrodução de longo prazo, mas sofrem com a falta de espaço e dinheiro.
Publicidade

ECOLOGIA DE RECONCILIAÇÃO 

A ecologia de reconciliação envolve encontrar maneiras de compartilhar os lugares que dominamos com outras espécies.
Substituição de gramíneas de monocultura por espécies nativas.
Manter habitats para morcegos comedores de insetos pode conter insetos indesejados.
Redução e eliminação de pesticidas para proteger organismos não visados ​​(como insetos polinizadores vitais).



Cursos 24 Horas - Parceiros


compartilhe compartilhe compartilhe compartilhe
Compartilhe nas Redes Sociais!

Professor e Especialista em Ensino de Ciências, pela UFF/RJ, com mais de 25 anos de magistério.

Recomendados para Você:
Publicidade
 
Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade

Material para Ensino Fundamental (6 Ano, 7 Ano, 8 Ano e 9 Ano) e Ensino Médio (1 Ano, 2 Ano e 3 Ano)

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

voltar